Terapia Intensiva

O que é Terapia Intensiva? - Hospital São Domingos

O Serviço de Medicina Intensiva do Hospital São Domingos é especializado no atendimento a pacientes em estado grave ou potencialmente grave com o objetivo de estabilizar o quadro clínico.

As Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) são equipadas com aparelhos da mais avançada tecnologia que garantem plena e segura assistência aos pacientes. Entre os benefícios estão o registro contínuo dos sinais vitais do paciente e até mesmo, quando necessário, auxiliam ou substituem, temporariamente, o funcionamento de alguns órgãos. A busca contínua pela excelência fez do Serviço de Medicina Intensiva do Hospital São Domingos referência no Maranhão e em toda a Região Nordeste.

Construídas de acordo com normas estabelecidas pela Society of Critical Care Medicine (SCCM) e pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB), as UTIs do Hospital São Domingos obedecem a padrões internacionais que garantem qualidade na assistência e segurança para o paciente.

ESTRUTURA Atualmente, o Serviço de Medicina Intensiva do Hospital São Domingos conta com 65 leitos distribuídos em seis UTIs. Cinco unidades são destinadas a pacientes adultos e estratificadas por complexidade, e uma para crianças, com 10 leitos.

As UTIs dispõem de diversos recursos tecnológicos, como respiradores de última geração e sistemas de monitorização com conectividade plena e integração ao sistema de prontuário eletrônico do hospital, capazes de fornecer informações e análise de tendências do quadro clínico dos pacientes.

Os leitos Progressa são outro diferencial. As camas inteligentes dispõem de recursos que vão desde medidas de segurança, como informar se o paciente está em condição segura no leito e mudanças de posição, até a realização de exercícios respiratórios programados.

O conforto e bem-estar também fazem parte dos cuidados e são propiciados por apartamentos com definição de áreas próprias para o paciente, família e a equipe de serviço, garantindo assim, privacidade a todos.

As unidades contam com uma praça terapêutica, denominada Praça José Maria Lisboa de Sousa, e apartamentos com amplas janelas, para que os pacientes tenham contato com o verde e a percepção do dia e da noite.

A praça tem um amplo espaço com jardins, aquário e obras de arte de artista maranhense, o que permite que o paciente se sinta em um ambiente descontraído, que em nada lembra um hospital e onde pode receber e conversar com amigos e familiares.

Esse tipo de terapia é tão importante que o professor Jean Louis Vincent, um ícone da medicina intensiva mundial e coordenador da UTI do Hospital Erasme, de maior prestígio da Europa, fez referência à praça do Hospital São Domingos, projetando sua imagem em conferência que proferiu em Bruxelas com o título “Making a Better ICU” e informando: “This is the ICU of São Domingos Hospital in Maranhão, North Brasil”.

NÍVEIS DE COMPLEXIDADE O Serviço de Medicina Intensiva é composto por níveis de complexidade e as UTIs são divididas conforme a característica de cada nível:

  • Nível 1 – Alta Complexidade Nível constituído pelas unidades UTI 1 (Cirúrgica), UTI 2 (Clínica) e UTI 5 (alta complexidade cirúrgica e trauma). Nesse nível são assistidos os pacientes agudos, recém-admitidos na UTI e que recebem medidas plenas de suporte de vida, como drogas vasoativas e ventilação mecânica.

  • Nível 2 – Cuidados Prolongados Nível constituído pela UTI 3, destinada a pacientes com maior tempo de permanência em cuidados intensivos e que ainda dependem de medidas de suporte de vida, embora sem risco iminente de morte; em fase de resolução do processo inicial que necessitou de terapia intensiva ou em transição para outro setor (apartamento ou home care).

  • Nível 3 – Transição de cuidados Nível constituído pela UTI 4. Recebe pacientes que já não dependem de medidas de suporte de vida, mas que ainda demandam vigilância e cuidados da equipe. São pacientes que, em um prazo máximo de uma semana, poderão ser transferidos em segurança para a Unidade de Internação. São, na maioria dos casos, pacientes com expectativa de breve retorno para o domicílio.

REFERÊNCIA EM MEDICINA INTENSIVA PEDIÁTRICA A UTI Pediátrica do Hospital São Domingos é composta por 10 leitos, instalados em apartamentos individuais equipados com recursos tecnológicos para propiciar assistência segura e eficiente a crianças em estado grave ou que tenham potencial de gravidade.

A unidade possui também ambientes humanizados e a assistência aos pacientes é feita por uma equipe de especialistas em terapia intensiva pediátrica formada por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e outros profissionais com qualificação específica na área de UTI Pediátrica.

ESPAÇO LÚDICO A ambientação, com motivo safári, brinquedoteca e dois jardins, foi estrategicamente planejada para tornar o espaço mais lúdico e fazer com que a criança se distraia, tirando o clima frio de uma UTI.

Considerando-se que permanecerão as 24 horas do dia com os filhos internados, os pais ou familiares contam com apartamentos estruturados para que tenham seu próprio espaço e privacidade. A equipe de serviço tem também um ambiente reservado.

CENTRAIS DE MONITORIZAÇÃO Além da garantia de assistência médica e de enfermagem presencial, essas unidades dispõem de centrais de monitorização que permitem o acompanhamento, a partir de uma central, dos pacientes por câmeras, por onde são acompanhados os sinais fisiológicos (eletrocardiograma, taxa de oxigênio e pressão). Cada central dispõe, durante 24 horas, de um profissional de enfermagem, qualificado e treinado. As centrais se destinam a aumentar a segurança e ao mesmo tempo propiciar a privacidade possível aos pacientes e familiares. Outro equipamento disponível é o sistema de intercomunicação por voz.

CLÍNICA DE FOLLOW UP Durante décadas, a equipe de profissionais que cuidam do paciente durante a sua permanência na UTI entendeu que a alta da UTI representava o fim do vínculo entre os intensivistas e seus pacientes. Nos últimos anos, e a partir de estudos de follow up (seguimento do cuidado após a alta hospitalar) se entendeu que pacientes que recebem alta da UTI frequentemente não retornam à vida normal. Muitos desses pacientes desenvolvem déficits cognitivos, limitações motoras e distúrbios psicológicos e psiquiátricos que os tornam dependentes de cuidados que por vezes não é disponibilizado.

Através do Protocolo de PICS (Síndrome Pós Cuidado Intensivo) os pacientes que internam na UTI do Hospital São Domingos são submetidos a cuidados preventivos da síndrome durante a permanência na Unidade e, por ocasião da alta são avaliados e orientados para a assistência ambulatorial por médicos, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas. Mais ainda, ao fim de três meses, esses pacientes são reavaliados na clínica de follow up e submetidos a avaliações médica, psicológica, fisioterapêutica e nutricional para identificar se há manifestações da PICS. Com isto avalia-se não só a eficácia das intervenções preventivas executadas durante a internação como os resultados dos cuidados que esses pacientes tiveram após a alta hospitalar.

Embora a clínica de follow up já seja utilizada em centros da Europa e Estados Unidos, temos orgulho de dizer que o Serviço de Medicina Intensiva do Hospital São Domingos é pioneiro no Brasil neste tipo de atendimento.

PRODUÇÃO CIENTÍFICA Costumamos dizer que o Serviço de Medicina Intensiva do Hospital São Domingos está apoiado em 3 grandes pilares: a assistência multiprofissional de alto nível e humanizada; o ensino e pesquisa representados por reuniões científicas, programa semanal de conferências e seminários, conferências de atualização através do programa UPDATE IN INTENSIVE CARE, além dos programas de Especialização em Medicina Intensiva para médicos em parceria com a AMIB e a Residência de Enfermagem de UTI do MEC. O terceiro pilar é representado pela produção científica. Desde os primórdios da nossa UTI no final da década de 80 a produção científica já ocupava parte do tempo dedicado ao serviço por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e psicólogos. Sempre o foco foi em estudos com grandes casuísticas, na maioria das vezes prospectivos observacionais e prospectivos randomizados. Embora em algumas oportunidades tenhamos participado de estudos multicêntricos o foco principal sempre foi a estudo realizado com nossa própria casuística.

HOT TOPICS IN CRITICAL CARE Visando contribuir para o desenvolvimento da Medicina Intensiva no Maranhão, a UTI do Hospital São Domingos criou o Hot Topics in Critical Care, uma série de conferências realizadas por profissionais de referência, abordando temas relevantes sobre o futuro da assistência intensiva no mundo.

Dúvida sobre cobertura de convênios para consultas?

Conferir operadoras aceitas